Conheça a Engenharia de Pesca

Sim, é isso mesmo que você leu! Assim como diz o título deste texto, existe mesmo uma Engenharia que lida com as atividades de planejar e gerenciar o beneficiamento e a conservação do pescado. São cinco anos de curso, em média, onde o futuro profissional tem contato com estudos de cálculo, estatísticas e ECOLOGIA. Depois disso, estudar Biologia Aquática, bioquímica, meteorologia, tecnologia e economia pesqueira. E olha que legal, muitas das aulas são até mesmo dadas não só em laboratórios, mas em barcos. Ah, sim, para receber o diploma é preciso a realização do estágio.

A faculdade de Engenharia de Pesca

Vamos lá! Na faculdade de Engenharia de Pesca, você deve aprender sobre métodos e técnicas de localização e captura de cardumes; criação e reprodução de peixes, crustáceos e moluscos. Também sobre como fazer a industrialização e distribuição deste produto. Por exemplo, instalação e manutenção de equipamentos mecanizados; montagem de fazendas marinhas e estações de piscicultura.

Depois de formado, é possível encontrar boas oportunidades na área. Mas é preciso ter registro no CREA para atuar no mercado!

As áreas de atuação do engenheiro de pesca

Primeiro, saiba que se você quiser se dedicar à Engenharia de Pesca, pode ser que terá que viajar bastante. Lembre-se disso! Mas, por outro lado, o mercado é amplo e, por hora, não faltam oportunidades! Veja algumas delas:

  • Planejamento e gerenciamento de empresas pesqueiras;
  • Desenvolvimento de técnicas de criação – em cativeiro – de organismos marinhos;
  • Desenvolvimento de projetos de instalações;
  • Estudo de animais e ambientes aquáticos para a exploração dos recursos – sem danos ecológicos;
  • Pesquisa de reprodução desses animais;
  • Orientação de pescadores para aumentar a produtividade da pesca e o desenvolvimento econômico e social da comunidade;
  • Pesquisa do potencial de uma região e elaboração de programas de pesca – com base em técnicas de localização e captura de animais;
  • Controle sanitário, cuidado da conservação e da industrialização do pescado.

Fonte: Engenharia 360 – aqui.